Amor Próprio

Escrevi esse texto tempos atrás e nem tinha passado por nada disso...mas olha como é a vida, passei por algo parecido logo depois...e não foi fácil. Lendo agora parece que "tava" falando de mim...vai ver "tava" mesmo, vai saber.

bjinhos

Dani Cabraíba

Amor-próprio
Fico imaginando o que leva umas e outras pessoas a agir de maneira estranha quando diz que ama. Sabe aquele amor doentio? Que cega, enfurece, angustia. Fico pensando quão infeliz é esse tipo de ser humano. O que será que falta? Sabe nunca passei por isso mas já conheci pessoas assim. Pessoas que busca o sofrimento, repele o outro com tanta proteção e desconfiança.

Creio que mais gente que se possa imaginar, já manteve um relacionamento com uma pessoa desse jeito. Vou dizer uma coisa é horrível, frustrante.Mas como conviver com isso?

Existem pessoas que convivem com esse tipo de sentimento, seja sentindo, seja suportando o outro. A falta de auto-estima leva o ser humano a coisas incompreensíveis. Vasculhar celular, e-mail, papéis no bolso a procura de algo para confirmar algo que só existe na cabeça da pessoa perturbada. Ver o que não existe, fantasiar acontecimentos, se sentir menor. Tudo isso é a total falta de estima por si mesmo.

O pior é que quem está passando por isso dificilmente reconhece, prefere achar que realmente tem seus motivos e quando enfim acha alguma coisa que justifique se sente realizada. É mais fácil do que parece detectar esse tipo de pessoa. Ela é geralmente aquela que não tem muita opinião a respeito de nada, seu gosto está sempre baseado no de alguém –mas comum no parceiro. O prato preferido, a música, o time, o lugar, a bebida, nada é preferência própria, tudo copiado.Desconfie sempre daquele tipo de pessoa que aceita tudo, que sempre diz: “o que fulano disser está bom pra mim”, no começo pode até ser encantador, mas depois virão as conseqüências.

Conviver com esse tipo de pessoa é muito difícil, seja ele amigo ou companheiro.Ter sempre que dar satisfação de tudo, ficar medindo seus gestos e atitudes, se privar das coisas que gosta só pra evitar situações é algo que não é fácil, mas muita gente se submete em nome do amor que sente. Contudo quem aceita, alimenta, dar permissão, autoriza o outro a fazer esse tipo de coisa. É difícil reagir, mas esse tipo de relacionamento sempre acaba mal.

Às vezes é uma simples discussão em casa, depois passa ser vexame em lugar público e quando realmente se toma consciência pode ser tarde demais. O amor nunca nos faz de refém, o amor nos liberta, é isso que temos que ter em mente.

Quem “ama” desse jeito não ama, pessoas assim não são capazes de amar. Amar é aceitar o outro, aceitar que nem sempre é do jeito que a gente imagina e quer, entender que as pessoas agem de maneira diferente e principalmente a gente não força ninguém a nos amar. Precisamos aprender que ter amor-próprio é o primeiro passo pra sentir amor de verdade, ciúmes doentio não é prova de amor, é prova de insegurança, de fraqueza e de puro egoísmo e esses sentimentos não coabitam com o amor de verdade.

Saber amar é uma dádiva que se aprende se amando primeiro. Você é seu maior professor, ninguém vai lhe ensinar a amar, seu coração vai saber quando e quem e você têm que saber fazer a medida.

Dani Cabraíba

Comentários

  1. Você sentenciou esse texto dizendo: "Amar não é pra todo mundo", e de fato não é Dani. Muitos nem sabem o que é na verdade o amor. Dizem "eu te amo", como dizem "oi"...enfim. Banalizou...quando é verdadeiro, é natural!!!
    Assim é a vida

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Carta para meus alunos

Autoestima

FELICIDADE